Mas, antes de começar, você precisa ter em mente esses 4 pontos:

1- Saber o valor de compra do produto;

2- Saber o preço da concorrência;

3- Identificar as despesas fixas;

4- Saber as comissões e deduções (custos variáveis).

São eles que vão determinar o valor final do seu produto! Agora, vamos aos passos… Confira:

1º Passo: Guarde o valor de compra do seu produto em uma planilha, tenha tudo anotado para não esquecer! Depois, pense: qual é o preço que você precisa colocar no produto para que ele pague as despesas fixas e ainda dê lucro?

2º Passo: analise os preços da sua concorrência e descubra o valor que eles estão vendendo o produto para ter uma média de mercado.

3º Passo: Some os valores de todas as suas despesas fixas (contas de luz, internet, mensalidades de ferramentas, de telefone, etc).

4º Passo: Aqui, você tem que somar todos os valores de custos variáveis.

Por exemplo, se você vende em marketplaces, é necessário pagar uma comissão por venda que pode variar.

Então, vamos supor que o valor do seu produto é 50 reais e o seu concorrente vende por 100 reais. Isso não significa que, se você também vender a 100 reais, terá 100% de lucro.

Na verdade, 50% é do valor do produto, 25% serão de todos os custos variáveis que você calculou e os 25% restantes são a Margem de Contribuição. Essa Margem de Contribuição serve para pagar as suas despesas fixas!

Agora suponha que a sua Despesa Fixa é no valor de 1000 reais. Quanto você precisa faturar para conseguir pagar as suas despesas fixas, o fornecedor e os custos variáveis? A conta é a seguinte: divide esses 1000 reais de despesa fixa por 25 e multiplica por 100.

Resultado final: 4000 reais de faturamento. Quer comprovar o resultado? Faça a prova real: 50% para o fornecedor: 2 mil. 25% para despesas fixas: 1 mil. 25% para custos variáveis: 1 mil.

Assim você começa um negócio sem ter prejuízo e também já sabe qual é a meta que você precisa atingir para isso. Se você quiser vender o produto mais barato para ser mais competitivo no mercado, também trouxemos um exemplo para este caso: Vamos supor que você não quer vender por 100 reais, mas por 80 reais.

O valor do fornecedor é o mesmo, 50 reais. Isso é equivalente a 62,5% dos 80 reais. O valor das comissões é o mesmo, equivalente a 25% do valor. E como o valor de venda do produto é menor, a margem de contribuição também vai diminuir para 12,5%.

Neste caso, o valor das despesas fixas é de 5 mil reais. Quanto você precisa faturar para conseguir pagar as suas despesas fixas, o fornecedor e os custos variáveis? A conta é a seguinte: divide 5000 reais de despesa fixa por 12,5 de margem de contribuição e multiplica por 100.

Resultado final: 40 mil reais de faturamento.

E o lucro, onde fica nessa história? Suponhamos que você queira lucrar 5 mil reais. Você vai somar o valor desse lucro, mais o valor das despesas fixas, que, no caso, é 5 mil reais.

Total: 10 mil reais. Quanto você precisa faturar? O cálculo é o seguinte: divide 10 mil por 12,5 e multiplica por 100.

Resultado final: 80 mil reais de faturamento.

No vídeo de hoje, Diego Ceciliano, sócio e COO do EnP, mostra como precificar o seu produto do zero. Para você não ter mais problemas sobre qual é o jeito certo de precificar o seu produto, o Diego preparou um passo a passo bem simples ensinando a precificação do zero…

Add a review

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Users Reviews

  1. nilofer

    Can\’t wait to see this movie !

    7,0 rating

    Can\’t wait to see this movie !